Pesquisar neste blog

domingo, 12 de fevereiro de 2012

12 O Jogo da Sociedade


Algo provavelmente tão antigo quanto o próprio tempo: a sociedade. Mas isso não se trata apenas de uma simples abordagem e sim uma análise desse jogo social que vivemos todos os dias. Essa competição do qual temos que aceitar certas regras e assim tentar sobreviver em meio a elas. Por esses e tantos outros motivos é que eu e o blogueiro Marcus Alencar aceitamos o desafio de expor nossas visões a respeito deste tema.



O jogo da sociedade – na visão de Marcus Alencar


Existe um jogo em movimento chamado sociedade. Descobrir a origem de suas regras é um enigma visto que elas fazem parte de um conjunto construído histórica e socialmente através dos tempos. Para alguns, falar sobre tal assunto pode parecer uma bobagem ou uma mania de quem é do contra. No entanto, ``engolir`` alguns sapos e fazer personagens não é o caminho mais agradável quando se é socialmente obrigado a dançar conforme a música. Isso acontece porque todos temos um determinado jeito de ser, algo como uma natureza própria de vida. Por isso, nunca é fácil agir de acordo com um comportamento para fazer parte de uma interação se isso estiver sendo feito de forma artificial.

Infelizmente, a compreensão não é parte deste jogo. Se você não estiver disposto a jogar como todo bom jogador, estará sujeito a punições como julgamentos apressados e incômodos sociais além de ser o alvo perfeito de preconceitos. Talvez seja exagero da minha parte colocar tudo dessa forma, mas sugiro para cada leitor fazer uma análise e imaginar o impacto que faz uma atitude muito diferente ao olhar das pessoas. Se você não age como todo mundo, muitas vezes é visto como um computador com defeito, impossibilitado de cumprir suas funções básicas dentro da sociedade.

Por isso, quando a interação social entra em campo é preciso estar preparado para ela. Um exemplo disso é saber levar brincadeiras e piadinhas na esportiva, mesmo quando algumas delas (talvez a maioria) flertem com o perigo da ofensa pessoal. Afinal de contas, ter senso de humor é característica fundamental para ser incluído neste jogo com sucesso. Mostra seu lado comunicativo e extrovertido.  Nesse sentido vale ressaltar que ir na direção contrária neste momento do jogo nem sempre é boa idéia pois também significar arriscar-se e pagar um preço por isso.

Esse não é um simples jogo. Trata-se de um sistema de valores e idéias cujo principal objetivo é definir certo e errado para todos. Sem discussões. Já disse antes, quem for contra será sujeito a uma punição. Mas nem todo castigo tem cara de castigo. Em certos casos algumas resistências são absorvidas para depois serem devolvidas como se nada tivesse acontecido aparentemente. Mesmo assim, as diferenças logo são percebidas assim como as acusações de que determinado integrante da oposição vendeu a própria causa. Isso acontece porque o caos incomoda pela sua natureza adversa e imprevisível.

Sendo assim, acredito que um tema tão vasto e cheio de possibilidades de abordagem como esse mereça uma reflexão mais extensa e variada, pois não tenho a pretensão de esgotá-lo com essas poucas palavras que vocês acabam de ler.

Marcus Alencar é autor do blog Olhar Receptor. Segundo seu olhar sobre o mundo que o cerca, cria artigos interessantes, numa linguagem ágil e compreensiva. Seus textos são fluentes e de leitura prazerosa, sempre trazendo em si uma profunda reflexão. Marcos tem a capacidade de extrair de seus textos e dos de outros autores a mensagem essencial, traduzindo o que é passado com muita eloquência. De suas obras recomendo “Se os corações fossem pessoas” e “Em quem você confia?”.

 Leia mais sobre o tema na visão de Angelus Paulino

12 comentários:

  1. Marcus, achei bem interessante a ideia. Penso que cada um de nós joga de maneiras diferentes. De uns tempos para cá, estou tentando viver com mais leveza, sem me importar tanto com os resultados, se irei vencer ou não... porque no final, o que importa é o caminho que percorremos! Tenha uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a reflexão, mas infelizmente é um jogo que somos obrigados a jogar, feliz daqueles que conseguem ter o domínio e o controle do jogo que jogam.

    abraços

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Novamente tenho que discordar, pois esta visão metafórica de ser um "jogo" é ruim para a própria sociedade, sendo que a torna um ambiente competitivo demais, cujas etapas não passam de confrontos entre egos. No mais, não encaro a sociedade como um jogo, pois não me considero e não penso que as pessoas sejam meras peças de um jogo barato. Pensar de tal modo só torna as pessoas mais vis e sem compaixão nenhuma.

    Definição de sociedade: juntamente, em comum, em companhia, de parceria. Da mesma forma que o dicionário eu a defino como algo que acrescente, já que somos obrigados a viver em sociedade, pois então que nos unemos. Bem, pelo menos é assim que deveria ser...

    ResponderExcluir
  4. Cada um tem um jeito de pensar, agir, cada um tem um jogo escondido atrás da manga, o certo é saber jogar as cartas na hora certa, tenha uma boa noite, beijos.
    www.lucimarestreladamanha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. No meio desse jogo há trapaças por demais. Infelizmente... sabe o lance de sempre ter que ficar vigiando cada passo que vem a seguir? Isso com certeza não é bom... principalmente quando não podemos ser nós mesmos, por causa do tão tristemente esboçado "o que vão dizer?".

    Viver em sociedade exige muito jogo de cintura, sim, mas não acho que devemos aceitar as regras preestabelecidas sempre. Eu não preciso me encaixar(ou seria, encaixotar?) nos eternos padrões, ainda mais se eles me fazem mal(pq alguns, sim, fazem muito mal). Algumas vezes precisamos elaborar nossas próprias regras.

    bjks JoicySorciere => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre a questão da sociedade e da moral constituída que você bem classificou como "sistema de valores e idéias cujo principal objetivo é definir certo e errado para todos", lhe recomendo uma dos clássicos da filosofia ocidental, "Ética a Nicômaco" de Aristótelos, neste livro ele aborda esta questão da moral no âmbito social e da ética no âmbito individual... é uma ótima pedida para aprofundar ainda mais a reflexão...

      http://sublimeirrealidade.blogspot.com/

      Excluir
  6. Oi Angelus,

    Excelente o texto! Penso que à medida que criamos independência das nossas palavras, o posicionamento fica mais fácil e necessário.
    Lu
    http://lucianasantarita.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Meu primno é bom mesmo naquilo que faz, rss!
    O texto é bem reflexivo, vou inclusive trabalhar em uma de minhas aulas no primeiro ano do ensino médio, pois estou trabalhando o conceito de sociedade nas aulas de introdução à Sociologia.

    O interessante é observar que é preciso se posicionar de maneira crítica à essa sociedade, tanto porque ela é uma construção humana, portanto, passível de transformação. Por outro lado, as posturas isoladas ou muito individuais não levam a essas mudanças, apenas o coletivo. A moral e a ética são construções que passam pela estrutura social, de como regras são criadas e impostas e facilmente assimiladas, sem questionamento, é nesse sentido que a ética se difere da moral, pois a ética é a reflexão acerca da moral, dos valores cristalizados...

    Talvez o estabelecimento de relações sociais mais humanas em uma sociedade desumana, possam ser o ponto de partida.

    Abraços Fraternos,
    Michele

    ResponderExcluir
  8. Falar sobre a sociedade em si,não quer dizer ser bobo,nem ter a mania de ser do contra...Pelo contrário,para mim demonstra capacidade e coragem em expor sua opinião.Aliás, achei muito interessante como vocês colocaram a questão do jogo que existe na sociedade.Não havia pensado desta maneira.Via como um conjunto de obras que está em construção,evoluindo junatamente com o homem.
    A parte de dançar conforme a música eu até concordo,tantas vezes somos obrigados a seguir o que nos foi imposto.Ficamos sem saída,é faze ou fazer...
    A relação do preconceito entre os que não seguem os conceitos,realmente existe,infelizmente.Não precisamos ir longe para vermos casos assim.
    Tenho a carcterística fundamental para estar entre os vencedores : a do bom-humor,então estou inclusa na sociedade,vou me dar muito bem...rsrsrs. Nem penso em voltar no sentido contrário!
    Com suas poucas palavras,me fez entender muito.De forma clara e objetiva.
    Parabéns pelo texto meu amor!

    ResponderExcluir
  9. Se posicionar em frente a sociedade mostra a capacidade de avaliar as questoes que envolvem o grupo. Eu também danço conforme a musica, como não dançar não é, afinal se não sabermos jogar acabamos engolidos !

    ResponderExcluir
  10. Excelente texto, Angelus, incisivo e direto, parabéns.
    A regra de ouro neste jogo chamado sociedade é "quem tem o poder, tem a razão" ou "quem tem o poder, muda as regras do jogo a seu bel prazer".
    Somos obrigados a aguentar muita coisa em prol da convivência, o que nos torna únicos é a forma como lidamos com nosso próximo, já que não temos escolha.
    Abraço, Angelus.

    ResponderExcluir
  11. Esse é um texto que por si só já diz tudo, sobre o muito que pode significar uma sociedade. Um grande abraço.

    ResponderExcluir

Seja muito bem vindo! Sua opinião pessoal sobre o post é muito importante.